domingo, 29 de agosto de 2010

Até amanhã não pensarei em você





Não pensarei em você, até amanhã.
Te mando e-mail você não responde
Te dou meu celular você nem liga.
Não quero mais sua pele
Guarde seus sorrisos.

Encho-me de trabalho
Saio depois do horário.
Mas hora ou outra o pensamento
Foge até sua pessoa
Hoje não quero saber se você está
No Maranhão ou Lisboa.
Pior, é que você nem sabe
Que sinto saudade.
Escuto Pixinguinha
Que sina minha.
De te amar mais que preciso.
Mando-te o último aviso:
No meu acervo de livros você
Já não é minha leitura favorita.
Seus olhos nunca brilharam tanto
Como ontem na bodeguita.
Os meus já não são mais pranto.
É... Você continua um encanto.
Te tomei, te bebi...
E até amanhã,
Finjo que te esqueci.


Até amanhã não pensarei em você
Débora Corn

2 comentários:

  1. Quando "ele" invade-nos os pensamentos até o ritmo de nossos passos sussurram um nome.

    ResponderExcluir